Cirurgia de Amígdalas pelo SUS como conseguir

As Amígdalas são órgãos localizados no fundo da boca e suas funções praticamente se resumem a proteger os órgãos do corpo contra possíveis infestações causadas por micro-organismos enquanto ainda o sistema imunológico se encontra em desenvolvimento. Porém, depois de alguns anos, já com o sistema de defesa do corpo mais desenvolvido elas, praticamente perdem a serventia.

Não raro, esses órgãos são acometidos de infecções causando a chamada Amigdalite que causam grandes constrangimentos para o indivíduo. Quando o problema se torna mais frequente, cogita-se a ideia da cirurgia para a retirada desses órgãos e eliminar de vez esse tipo de infecções que acometem principalmente as crianças.


Por isso então, vamos tecer alguns comentários sobre a cirurgia de Amígdalas pelo SUS e como consegui-la. Uma vez que deve ser considerada a informação de que mais de 904 mil brasileiros estão na fila de espera por uma cirurgia

Quem tem direito

Todos sabem que saúde pública no Brasil está muito longe do que seria o ideal e, com respeito à cirurgias, a situação as vezes é ainda mais complicada.

A fila de pacientes interessados em fazer a cirurgia das amígdalas não é pequena, o que não é nenhuma novidade e tem mais, apenas os pacientes com maior necessidade têm a preferência, e dependendo da região no país, o tempo de espera é extenso.


Em casos de Obstrução das vias aéreas

A função das amígdalas é de barra os micróbios agressores ao corpo, mas quando estas começam a inflamar com frequência e não se resolve a situação com remédios, o jeito é a retirada.

A retirada das amígdalas é indicada pelo médico  em casos de:

  • Obstrução das vias aéreas – nesse caso tem crianças e adultos que trazem um problema tão acentuado que acabam tendo apneia do sono e ainda podem perder peso, devido a dificuldade na deglutição.

Em casos de Infecção de Repetição

Também em casos de infecções reincidentes como:

  • Infecções repetitivas – Nesses casos a cirurgia é indicada quando existe muita infecção, mais de 7 vezes ao ano. Acontece muito de as infecções de repetirem com frequência, e ao ser tratadas com antibióticos não evitará novas infecções.

Primeira consulta no posto de Saúde

Ao visitar o médico que atende pelo posto de saúde, geralmente um clínico geral, dependendo da situação, este encaminhará o paciente para um otorrinolaringologista que fará novos exames e se de fato for necessária a cirurgia, encaminhará o paciente para marcar a cirurgia.

Mesmo assim, dependendo da gravidade do problema, o tempo de espera é bem longo dependendo da região onde o paciente reside.

Encaminhamento com Otorrinolaringologista

Já sobre os cuidados do otorrinolaringologista, depois de outros exames mais específicos, se o profissional achar necessário uma cirurgia com maior urgência, poderá favorecer o paciente e buscar encaminhá-lo para uma cirurgia gratuita pelo SUS. Porém, dependendo da região em que reside, o paciente poderá precisar esperar por um bom tempo até que seja chamado.

Necessário ficar apto para cirurgia

O paciente depois de ser diagnosticado, deverá fazer todos os exames necessários e estar preparado para o momento em que for chamado para a realização da cirurgia, e o médico dará todas as indicações possíveis para garantir o preparo.

O operatório

Não existe uma idade certa para a cirurgia deste problema, mas no caso de crianças, é preciso analisar o grau do problema. Será feita uma avaliação sobre o histórico de infecções, e o impacto destas na saúde do paciente. Este ainda deverá passar por uma rigorosa avaliação clínica e exames que comprovem os danos que devem levar a cirurgia.

Pós Operatório

Já os cuidados pós operatórios são:

  • Nos 3 primeiros dias, o paciente deverá comer alimentos pastosos líquidos, frios ou gelados, do tipo: sopas frias, sorvete, milk shake, sucos de frutas não cítricas e mingaus frios.
  • Já no quarto dia, os alimentos podem ser um pouco mais consistentes, mais ainda frios ou mornos e boa alternativa: purê de batatas, macarrão com molho, caldo de feijão entre outros.
  • A partir do sétimo dia, a alimentação deverá ser normal, evitando apenas alimentos que possam ferir a garganta ainda em processo de cicatrização.
  • Repouso por 7 dias – deverá ficar em casa sem muitas atividades agitadas, corridas entre outros. Atividades calmas como uma boa leitura, assistir um filme, TV, jogos de cartas entre outros, podem ser perfeitos.
  • Antes de 30 dias ou até que o cirurgião libere, o paciente não deverá fazer esforços físicos rigorosos como natação, futebol, corridas entre outros.
  • A escovação dos dentes nos 3 primeiros dias deverá ser somente nos da frente. Deve ser evitado completamente o contato da escova com a área operada.
  • Não gargarejar nem bocejar com força.
  • os pontos cirúrgicos irão cair por conta própria.
  • Nos 2 primeiros dias, poderão ocorrer febres de até 38º o que não significa infecção.
  • Nas primeiras 4 horas, poderão acontecer salivação e eliminação discreta de secreção nasal com vestígios de sangue.
  • Caso tenha sangramento ativo, o médico deverá ser comunicado.
  • Nas primeiras 24 horas, em alguns casos poderão acontecer vômitos com coágulos de sangue o que é normal, mas sangue vivo deverá ser comunicado ao médico de imediato.
  • Podem acontecer dores na garganta e de ouvido, parecidas com as dores de amigdalites, o que é comum após Cirurgia de Amígdalas pelo SUS  e particular. Mas podem ser reduzidas com analgésicos.

Leia também: