Cirurgia de Catarata pelo SUS como Conseguir ( e o procedimento )

Problemas com a saúde dos olhos como é o caso da Catarata, muita gente enfrenta e, por conta disso, precisam passar por uma cirurgia o mais breve possível para contornar a doença. Porém, sabemos que não é qualquer pessoa que tem condições de bancar as despesas para realizar essa cirurgia em uma clínica particular e, mesmo os planos de saúde, nem sempre costumam cobrir esses custos.

Felizmente, em nossos dias a cirurgia de Catarata pelo SUS já é possível, apesar de nem sempre ser muito fácil uma vaga. Sendo assim, para quem tem condições de esperar, poderá usufruir dos benefícios do governo e fazer a cirurgia totalmente gratuita.

Sobre esse tipo de cirurgia vamos então, fazer alguns comentários com respeito aos procedimentos cabíveis até que a cirurgia seja marcada e o problema da Catarata seja resolvido.

A Primeira consulta na Rede Pública

A verdade é essa que todo cidadão brasileiro tem direito a fazer a cirurgia pelo SUS mas o problema é que dependendo do município e pelo número de interessados na fila de espera, pode ser necessário esperar muito tempo pela cirurgia e, infelizmente, enquanto o tempo passa, o problema de visão vai se agravando.

Para conseguir uma consulta na rede pública de saúde (SUS) é preciso estar provido do cartão SUS onde consta todos os dados sobre o dono do cartão. Para aqueles que por algum motivo ainda não tem o cartão, basta solicitá-lo no posto de saúde mais próximo de onde mora.

Mas para começar a conquista pela cirurgia gratuita , é preciso agendar uma consulta com um médico clínico geral credenciado pelo SUS. No momento da consulta, o profissional da saúde fará alguns exames mais superficiais para saber do estado de saúde do paciente, avaliando também o estado de saúde dos olhos.

Depois disso, se esse médico achar necessário, poderá encaminhar o paciente para um médico especialista dos olhos, ou seja um oftalmologista.

O Encaminhamento Médico

Com uma nova consulta, agora com o oftalmologista, o profissional exigirá alguns exames que comprovarão a real necessidade ou não de se realizar a cirurgia. Além disso, também será avaliado a necessidade de urgência para que essa cirurgia ocorra, pois como existem muitas pessoas na fila de espera, procura-se dar prioridade para os casos mais urgentes, o que é perfeitamente justo.

E se de fato o caso do paciente exige uma intervenção cirúrgica mais urgente, o médico irá encaminhá-lo para agendar a cirurgia e em algumas situações precisará ter muita paciência aguardando na fila de espera até que seja chamado.

A Avaliação do Oftalmologista

Com os exames que o médico oftalmologista vai requerer será verificado a presença e o agravo de alguns sintomas que podem ou não apontar para a cirurgia. Entre esses sintomas podemos citar:

  • Visão nublada, confusa ou nebulosa,
  • Dificuldades para dirigir durante a noite por conta do brilho dos faróis dos carros contrários,
  • Visão dupla,
  • Mudanças frequentes na receita dos óculos,
  • A visão por vezes melhora, mas logo depois piora,
  • Dificuldades de cumprir com os compromissos de cada dia por conta da dificuldade de enxergar.

Quando o paciente apresentar pelo menos alguns desses sintomas, depois da avaliação, certamente o paciente será encaminhado para a cirurgia.

Com pelo menos alguns desses sintomas presentes, o oftalmologista avaliará a gravidade e possivelmente recomendará a cirurgia.

Como é a Cirurgia

Para a cirurgia de Catarata pelo SUS que dura em média 45 minutos o paciente deverá receber uma anestesia a base de colírio e sedação leve para que o procedimento cirúrgico inicie com o Laser para fazer as incisões e a ruptura da Catarata. Feito isso, chega o momento de realizar o processo de Faco-emulsificação para remover a Catarata.

Após ser removida a Catarata, é introduzida uma lente intra-ocular que pode ser ou monofocal ou multi-focal de acordo com o que o médico achar mais conveniente.

Para finalizar, agora só faltará o curativo que é feito com gaze que também pode ser substituído por um tampão de acrílico ou óculos escuros.

O pós Operatório

Geralmente, o paciente volta para casa no mesmo dia da cirurgia, salvo algum tipo de complicação que possa forçar o paciente a ficar mais tempo no hospital.

Precisamos entender que, mesmo se tratando de uma cirurgia simples e praticamente sem riscos, é imprescindível que o paciente siga as orientações do médico sobre os cuidados pós-cirúrgico pois qualquer descuido, é possível ocorrer complicações até mesmo graves se esses cuidados não forem levados a sério.

O paciente deverá guardar repouso em casa e evitar forçar a visão privando-se até mesmo de dirigir. O tempo para essas restrições deverá ser recomendado pelo médico levando em conta o estado clínico do paciente.

Ainda entre os cuidados que não pode ser passado por alto é de não coçar os olhos. Além disso, no momento de dormir, o paciente não deverá dormir virado para o lado do olho operado.

O uso de óculos ou Lente

Em algumas situações, poderá ser necessário o uso de óculos após a cirurgia, isso, se acaso sobre algum grau residual que o paciente já possuía antes da cirurgia ou então dependendo do tipo de lente intra-ocular que tenha sido implantada.

Se acaso se trata de uma lente monofocal, os óculos de leitura ou então para trabalhar na frente do computador, poderão sim serem necessários.

Pode ser necessário o uso de óculos caso sobre algum grau residual que o paciente tinha antes ou dependendo da lente intraocular implantada. Se for uma lente simples monofocal, os óculos de leitura para perto e para o computador costumam ser necessários.

Também na questão de lentes, não basta que o paciente queira um ou outro tipo de lente à sua escolha. Somente o médico é quem poderá determinar a melhor opção, sempre levando em conta a necessidade lógica de seu paciente.

Leia também: