Remédio Analgésico e Antiinflamatório para Cólica Menstrual e Dismenorreia

Constrangimentos com o ciclo menstrual é um problema que toda a mulher precisa enfrentar a cada mês, começando já na adolescência. Dá para quase dizer que podemos contar nos dedos as mulheres que não precisam enfrentar esses suplícios de todo mês.

Algumas das mulheres até que conseguem enfrentar esse período sem maiores complicações, porém, outras enfrentam sintomas por vezes bem difíceis de suportar.

Em algumas situações ainda, com uma condição de saúde mais comprometedora, algumas mulheres precisam fazer uso de um remédio anti-inflamatório para cólica menstrual que será recomendado pelo ginecologista.

Sobre esse problema que o público feminino precisa enfrentar vamos tecer alguns comentários e também recomendar as opções em medicamentos mais utilizados hoje para este fim.

O que é A Cólica Menstrual

Também conhecida como Dismenorreia, a cólica menstrual é um sintoma considerado natural na mulher, durante o período da menstruação que chega acompanhada com a tensão menstrual.

Algumas mulheres, podem até não apresentar essas cólicas e outras ainda quando sentem o sintoma, esse pode ser brando, enquanto que em algumas situações, o desconforto e dor é mais intenso.

Existem dois tipos de Cólica menstrual:

  • Cólica primária – essa acontece naturalmente durante o período menstrual,
  • Cólica secundária – esse tipo de cólica pode acontecer também fora do período menstrual quando é causada por problemas no aparelho reprodutor feminino, tais como; Endometriose e Miomas que geralmente afetam a cavidade uterina e outros órgãos na mulher.

Quem mais sofre?

Segundo especialistas, por incrível que pareça, quem mais sofre com esses problemas são as meninas por volta dos 13 a 14 anos de idade.

Isso, porque normalmente é nessa idade que os ovários amadurecem e começa então, uma nova etapa na vida da menina moça que é a de que agora está apta a procriar, e portanto a função de liberar um óvulo a cada mês.

Claro que grande parte desse desconforto da dor, vem em decorrência do próprio ciclo menstrual o que é normal, e não se pode dizer que seja devido a uma alteração do organismo de maneira fora do comum.

Sobre Dismenorreia

A Dismenorreia no verdadeiro sentido da palavra é caracterizada por uma cólica mais intensa durante o período menstrual que pode causar muito desconforto a ponto de comprometer as atividades no dia-a-dia das mulheres, seja nos estudos ou no trabalho. Essas cólicas são mais intensas num período de 1 a 3 dias, a cada mês.

Essas cólicas costumam ser mais comuns durante a adolescência, mas também podem se manifestar em mulheres com mais de 40 anos e em alguns casos, em meninas que ainda não entraram na idade em que a menstruação acontece.

Essa pode ser primária ou secundária. Veja:

Cólica primária – Esta não tem uma causa específica e pode começar na menarca e se estender por toda a vida até a menopausa.

Mesmo que acabem oferecendo muito desconforto, essas são normais no ciclo e muitas vezes precisam ser tratadas com medicamentos específicos para garantir o alívio.

Cólica secundária – Este tipo de cólica, por sua vez, é mais grave, pois geralmente provém de alguma outra doença no organismo como endometriose, miomas e inflamações pélvicas.

Nestes casos, é necessário que a mulher tenha um acompanhamento médico sistemático, o qual poderá lhe examinar e indicar o tratamento mais acertado.

O que indica de que algo está errado no ciclo menstrual?

Para começar, quando as cólicas começam a ser tão fortes que se tornam insuportáveis é sinal de que algo está errado. E geralmente estas vem acompanhadas de outros sintomas, os quais vamos conferir agora:

Fluxo aumentado repentinamente

O aumento repentino do fluxo menstrual acompanhado de cólicas pode indicar de que algo está errado, e a mulher poderá ter desde um mioma até outro problema mais sério.

Além disso pode indicar o desequilíbrio hormonal, e é preciso buscar por um médico imediatamente.

Fluxo diminuído repentinamente

Esse também é um problema que é fora do normal, a não ser que a mulher esteja grávida ou na menopausa.

Descartando as possibilidades acima, é importante fazer alguns exames que serão indicados pelo médico para avaliar possíveis problemas endocrinológicos.

Menstruação irregular

essa irregularidade, geralmente se dá pelo desequilíbrio hormonal, e ai a irregularidade pode acontecer até pelos picos de estresse que a mulher passa durante o mês.

Mas existem outros fatores também como o uso da pílula do dia seguinte.

Por outro lado, se a menstruação aparecer mais do que uma vez ao mês e ainda vir acompanhada de fortes cólicas, pode ser o indicativo de doenças como lesões no colo uterino.

Nestes casos é preciso buscar o tratamento médico o mais cedo possível, para não correr o risco de que isso se transforme num terrível câncer.

Principais Sintomas

Os principais sintomas da Dismenorreia são:

  • Cólicas que podem ser brandas, moderadas ou mais intensas,
  • Enjoos,
  • Diarreia,
  • Vômitos,
  • Sensação de cansaço,
  • Nervosismo,
  • Vertigens,
  • Dor de cabeça que pode ser mais intensa ou não,
  • Desmaios.

Quando se trata de cólica secundária, esses sintomas aparecem após algum tempo em que uma doença está instalada e geralmente com maior intensidade.

Quais são os exames que devem ser feitos para descobrir a causa das cólicas?

Ao consultar o médico, é bem provável que este lhe indicará uma bateria de exames a serem feitos.

Entre eles temos:

Papanicolau

Através deste exame tem-se por objetivo detectar a presença de células cancerosas no colo uterino. e ainda ajuda no diagnóstico de outras doenças sexualmente transmissíveis como HPV, Clamídia, Gonorréia, Sífilis entre outras.

Toda mulher entre 21 e 65 anos devem fazer este exame regularmente, e ainda mais se sentirem cólicas menstruais muito fortes.

Ressonância Magnética

Nesse que é um exame de imagem, o médico terá a possibilidade de observar o colo do útero e outros órgãos da mulher, podendo identificar se há ou não alguns tipos de doenças como endometriose, entre outras.

Ultrassonografia transvaginal

Tem o mesmo objetivo da ressonância, porém com menor eficiência em comparação. 

Por isso, normalmente este é um exame solicitado antes de uma ressonância, e caso os resultados não sejam claros, parte-se para a ressonância para que as informações sejam melhor esclarecidas.

Exame ginecológico meticuloso

Em algumas situações este é um exame realizado por meio do toque vaginal, e também retal.

O objetivo é detectar possíveis sinais que indicam a doença.

Laparoscopia diagnóstica

Um tipo de exame pelo qual um tubo fino é introduzido através da vagina, e pelo qual são visualizados todos os órgãos reprodutores da mulher, podendo detectar com maior clareza, se existe porventura algo alguma doença causadora das cólicas.

Nesse exame também é possível outros problemas como as dores pélvicas e a infertilidade.

Exames de laboratório

O conjunto desses compreende desde o exame de urina até o de sangue e secreção vaginal para saber se a saúde ginecológica da mulher está em dia.

A partir dos resultados destes é que poderá se estender análises mais minuciosos através de outros exames.

Existe influência da alimentação nesse processo de alívio às cólicas?

Pior que sim. Inclusive ela interfere radicalmente, e todas sabem disso, nos sintomas de TPM na mulher.

Mas, o bom nisso, é que existem alimentos específicos que podem ajudar a trazer alívio a esse desconforto todo das cólicas menstruais.

Alimentos que são ricos em cálcio podem ajudar a dar alívio a musculatura lisa uterina, e por essas é que os alimentos derivados do leite e o próprio leite são super indicados para mulheres que enfrentam as cólicas menstruais.

Outro ponto importante a ser observado é com relação a alimentos que produzem ácidos graxos, pois estes trazem propriedades anti inflamatórias que ajudam a aliviar as cólicas. Entre os alimentos indicados para tanto temos as castanhas, nozes, peixes, abacate, entre outros.

Existem ainda outros alimentos que são ricos em líquidos e portanto também em vitaminas e sais minerais, que contribuem para o alívio das cólicas menstruais. Entre esses temos as frutas, verduras e legumes.

E se precisar de tratamento?

Hoje existe uma enorme gama de remédios para tratar essa questão mdas cólicas menstruais.

E entre eles temos os:

Antiinflamátórios

Estes são indicados pelos médicos porque tem a capacidade de aliviar as dores. e entre as versões mais indicadas para este caso temos os líquidos ou em cápsula de gel que trazem um poder de ação mais imediato.

Já os comprimidos também são bons, mas podem demorar até 2 horas para então fazerem efeito.

Espasmódicos

Estes que são conhecidos como antiespasmódicos também são indicados para o alívio da dor das cólicas.

O ideal é que estes remédios comecem a ser administrados antes que as cólicas cheguem para que o efeito seja mais efetivo.

Analgésicos

o mesmo remedinho que você tem ai para aliviar outros tipos de dores como a dor de cabeça, por exemplo, é o remédio que irá aliviar as cólicas.

Em mais ou menos 20 minutos já começam a surtir efeito, e este dura em média de 4 a 6 horas.

Anticoncepcionais

Em alguns casos os contraceptivos são indicados quando detectado o desequilíbrio hormonal, e portanto estes podem dar conta do recado.

Remédios caseiros

São úteis sim, aqueles chazinhos lá do tempo da vovó funcionam, especialmente para quem não pode fazer uso de outros medicamentos.

Quais os remédios químicos mais utilizados para cólicas menstruais?

Como em muitos casos não existe outra solução a não ser bloquear este mal que chega todos os meses, o jeito pode ser a administração de medicamentos que irão aliviar, e aqui temos alguns dos mais utilizados. Confira:

Remédio Naproxeno 500 mg

Naproxeno é uma das opções em remédio anti-inflamatório para cólica menstrual que os médicos ginecologistas poderão recomendar nos tratamentos. Esse é um medicamento que também apresenta ação analgésica e antitérmica, que oferece bons resultados para tratar de condições inflamatórias motivadas por causas diversas.

Substância ativa nesse medicamento – Cada comprimido contém 500 mg de Naproxeno.

Como usar esse medicamento – em geral, a recomendação médica de Naproxeno 500 mg é de 1 comprimido ao dia por um período máximo de 10 dias seguidos.

Esse medicamento é recomendado apenas para pacientes adultos e deve ser ingerido com um pouco de água sem ser mastigado.

Efeitos adversos desse medicamento – esse medicamento pode apresentar alguns efeitos adversos, tais como:

  • Náuseas,
  • Dor abdominal,
  • Diarreia,
  • Dor no estômago,
  • Zumbido,
  • Sonolência,
  • Alterações na visão e audição,
  • Inchaço,
  • Palpitações,
  • Falta de ar,
  • entre outros efeitos indesejáveis.

Valor desse medicamento – a embalagem com 20 comprimidos de Naproxeno 500 mg tem um valor aproximado de R$ 23,00 reais.

Antiinflamatório Bi-Profenid

Mais um remédio remédio anti-inflamatório para cólica menstrual que pode ser utilizado nos tratamentos, Bi-Profenid também oferece ação analgésica e antitérmica e, por isso, pode conferir bons resultados no combate a complicações onde um processo inflamatório precisa ser combatido.

Bi-Profenid inibe a agregação plaquetária e a síntese das Prostaglandinas o que o valida para combater as inflamações.

Substância ativa nesse medicamento – cada comprimido contém 150 mg de Cetoprofeno.

Como usar esse medicamento – em geral, o uso desse medicamento é assim recomendado:

  • Tratamento de ataque – 1 comprimido de Bi-Profenid ingerido 2 vezes ao dia. O tratamento deve ser orientado pelo médico para o menor tempo possível, dando-se continuidade com o tratamento de manutenção.
  • Tratamento de manutenção –  a recomendação é de 1 comprimido de Bi-Profenid ao dia.

Efeitos adversos desse medicamento – o uso desse medicamento pode apresentar uma variedade de efeitos adversos, alguns inclusive bem severos. Por isso, é importante buscar pela orientação médica e não se auto-medicar.

Valor desse medicamento – a embalagem com 10 comprimidos de Bi-Profenid 150 mg tem um valor aproximado de R$ 41,00 reais.

Remédio Ponstan 500 mg

Ponstan 500 mg é um medicamento que pode ser usado com muito sucesso nos tratamentos contra Dismenorreia, Menorragia e outras disfunções do aparelho reprodutor feminino. Além disso, ele é bastante eficaz quando existe uma doença auto-imune em que o próprio sistema de defesa do corpo agride ele próprio por engano.

Substância ativa nesse medicamento – cada comprimido de Ponstan contém 500 mg de Ácido Mefenâmico.

Como usar esse medicamento – esse medicamento deve ser ingerido junto com as refeições para evitar o desconforto gástrico. Geralmente a recomendação médica é de 1 comprimido de Ponstan 500 mg, 3 vezes ao dia começando no início da menstruação com o uso continuado de acordo com a recomendação médica.

Esse medicamento deve ser ingerido inteiro sem mastigar ou partir.

Efeitos adversos desse medicamento – os efeitos adversos mais comuns que esse medicamento pode apresentar são:

  • Dor abdominal,
  • Náuseas com ou sem vômitos,
  • Diarreia.

Valor desse medicamento – a embalagem com 24 comprimidos de Ponstan 500 mg tem um valor aproximado de R$ 31,00 reais.

Antiinflamatório Tenoxil 20 mg

Texoxil 20 mg é um medicamento com ação anti-inflamatória bastante eficaz para combater complicações relacionadas ao sistema músculo-esquelético, mas também é bem aproveitado para tratar da Dismenorreia Primária.

Substância ativa nesse medicamento – cada comprimido de Tenoxil contém 20 mg de Tenoxicam.

Como usar esse medicamento – para tratar da Dimenorreia primária leve ou moderada, recomenda-se 1 comprimido de Tenoxil ao dia. Já para a Dismenorreia em estágio mais intenso, o médico poderá recomendar 40 mg do medicamento ao dia.

Efeitos adversos desse medicamento – esse medicamento pode apresentar uma variedade de efeitos adversos. por isso, é importante que o tratamento seja recomendado por um médico responsável que antes deverá avaliar o quadro clínico da paciente.

Valor desse medicamento – a embalagem com 10 comprimidos de Tenoxil 20 mg tem um valor aproximado de R$ 15,00 reais.

O que fazer além dos medicamentos?

Exercícios físicos – Estes fazem com que a prostaglandina se esgote do organismo, esta que é uma enzima que é um vetor das cólicas. Devem ser diários.

Alimentação adequada – é sabido que alguns alimentos intensificam as cólicas menstruais, então o negócio é se abster deles. E comer muitas frutas e verduras, castanhas e leite e seus derivados, peixes entre outros ajuda a aliviar as cólicas.

Terapia cognitiva comportamental  – onde a mulher aprende técnicas para dar alívio aos danos emocionais que a dor causa. Hoje já existem clínicas que oferecem esse tipo de terapia.

Bom, então é isso, agora você já está a par de remédio anti-inflamatório para cólica menstrual , e sabe que outras providências devem ser tomadas para que você mulher não precise enfrentar isso todos os meses, o que é bastante doloroso e desconfortável.

Cuidar da saúde é a melhor maneira de estar de bem consigo mesma e ter ânimo para tudo o que acontece na sua vida. Então cuide-se mulher!!!!

Leia também: