Como aplicar Insulina ( partes de corpo ) Indicações

Uma das doenças mais frequentes no ser humano é o Diabetes. Uma doença degenerativa que oferece sérias consequências ao organismo. E com capacidade de matar se não for tratada em tempo hábil.

O Diabetes é uma doença crônica que impede o corpo de produzir a Insulina.  Ou então, compromete o funcionamento do órgão produtor desse hormônio impedindo que ele seja utilizado adequadamente.

Por conta disso então, são necessárias as aplicações de Insulina. Certamente, sob orientação médica para controlar a glicose no organismo.

O que é insulina

 

Na verdade, a Insulina é um hormônio que o próprio corpo produz para facilitar a entrada de glicose nas células, para ser transformada em energia.

O órgão responsável pela produção desse hormônio é o Pâncreas. Mas quando o indivíduo é acometido de Diabetes, geralmente provocada por conta de uma alimentação errada ou quando não por conta de herança genética, essa insulina pode ter sua função comprometida.

A Insulina que deverá então ser aplicada nos indivíduos diabéticos é produzida a partir da Insulina humana. Mas é modificada para que tenha uma ação mais rápida ou mais prolongada. E com isso, atender os pacientes segundo as necessidades de cada um.

Além disso, ainda tem os tipos sintéticos, indicadas para indivíduos que apresentarem reações alérgicas ao medicamento de origem humana.

Também existem as cápsulas de Insulina para serem ministradas via oral. Estas que estão em fase de testes juntamente com a Insulina em pó para ser inalada. Mas por enquanto, ainda os tipos injetáveis são os recomendáveis para todos os diabéticos.

Tipos de Insulin

 

  • Insulina Detemir, Deglutega ou Glargina – estes tipos de insulina são de ação lenta ou prolongada de até um dia, contribuindo para que a quantidade de sangue se mantenha constante para imitar o efeito basal da Insulina durante o dia.
  • Insulina NPH, Lenta ou NPL – essa insulina é de ação intermediária com tempo de ação de meio dia e também pode imitar o efeito basal durante esse período.
  • Insulina Regular – esse tipo de insulina deve ser aplicada pelo menos 30 minutos antes das refeições pois tem uma ação rápida. A aplicação deverá ser 3 vezes ao dia sempre antes das refeições para que os níveis de glicose se mantenham controlados.
  • Insulina Aspart, Glulisina ou Lispro – Por ter uma ação ultra-rápida, esse tipo de Insulina deverá ser aplicada poucos instantes antes das refeições ou logo após elas. Nesse caso, a insulina aplicada oferece a mesma ação da Insulina que o Pâncreas produz naturalmente para evitar o aumento no nível de açúcar dos alimentos ingeridos a cada refeição.

Partes de corpo para aplicar

 

É importante saber sobre as partes do corpo para aplicar Insulina.  E certamente pacientes que necessitam de aplicação mais de uma vez ao dia ainda devem mudar o local de cada aplicação. Isso para evitar a formação de nódulos ou caroços de gordura.

Além disso a insistência na aplicação em um local apenas dificulta a ação do medicamento que demora mais para ser absorvido e controlar a glicemia.

As partes do corpo para aplicar a Insulina são:

  • Região do Abdômen – essa é a melhor região do corpo para receber uma aplicação de Insulina, pois nesse caso, ela é absorvida mais rapidamente pelo organismo
  • Braços – depois da região abdominal, a aplicação de Insulina nos braços favorece para uma absorção rápida pelo organismo
  • Nádegas – as nádegas é outra parte do corpo indicada para receber as aplicações de insulina, porém a absorção pelo organismo se torna mais lenta
  • Pernas – assim como acontece com uma aplicação de Insulina nas nádegas, também nas pernas a absorção pelo organismo é bem lenta

 

Como podemos fazer a alternância nas aplicações

 

  • Braços – alterne entre o braço esquerdo e o direito e, além disso, faça as aplicações sempre em locais diferentes. Para facilitar, deixe um espaço de pelo menos 1 cm de uma aplicação da outra em vários pontos dos braços. Mas atenção, use a parte exterior do braço que apresenta mais gordura.
  • Coxas – assim como nos braços, faça uma alternância a cada aplicação entre a coxa esquerda  e a direita. E também busque pontos diferentes a cada aplicação.
  • Região abdominal – essa é a região mais preferida para as aplicações de insulina. Porém, tome cuidado para não fazer aplicações muito perto do umbigo. Pois o tecido na região é menos resistente. E a absorção do hormônio não terá a mesma qualidade.

 Quantas vezes ao dia usar

 

A Insulina só poderá ser administrada sob orientação médica. Lembrando que ela é encontrada em tipos diferentes para serem usadas de acordo com a necessidade de cada paciente.

Também a dosagem e a quantidade diária varia de paciente para paciente. E nesse caso, somente o profissional médico poderá estipular o número de vezes que ela será aplicada por dia.

Como fazer a aplicação de Insulina

 

Os pacientes que irão fazer a aplicação de Insulina por conta própria, devem tomar alguns cuidados, tais como:

  • Manter as mãos limpas.
  • Limpar o local onde será aplicada a Insulina.
  • Desinfetar também a borracha do recipiente da insulina.
  • Usando os dedos de uma mão, faça uma prega na pele para que ela receba a agulha de aplicação, introduzindo-a em um ângulo de 90°.
  • Após introduzir a agulha, solte a prega, faça a aplicação e retire a agulha com cuidado.

Aplicação em adultos

  • Independente de ser gordo ou não, o ideal são agulhas de até 6mm;
  • Agulhas até 5mm não necessitam que seja feita a prega na pele e pode ser aplicada num ângulo de 90º;
  • Com agulhas de 6mm pode ser feita no ângulo de 90º, mas em pessoas com pouca gordura, o ideal é fazer a 45º evitando assim, uma injeção intramuscular;
  • Não é aconselhável, agulhas mais longas;

 

Aplicação em crianças e adolescentes

 

  • Agulhas de até 6 mm, não sendo aconselhável agulhas maiores;
  • Para menores de 6 anos, é correto fazer a prega cutânea para todos os tamanhos de agulhas num ângulo de 45º;

 

Aplicação em gestantes

 

  • Pode ser realizada a aplicação no abdômen sem problemas;
  • Usar agulhas de 4 a 5mm;
  • Em uso de agulhas de 6 mm deve-se fazer a prega cutânea e ângulo de 45º;
  • A partir do 2º mês de gestação, o ideal é aplicar as injeções nas laterais da barriga, coxa, nádegas e parte superior dos braços.

 

O que é a Diabetes

 

A diabetes é uma doença crônica, não transmissível, mas que é causada pelo mau funcionamento do pâncreas. Quando este órgão que fica localizado atrás do estômago, não produz a insulina necessária. Ou quando existe uma má absorção de insulina, acabam aumentando drasticamente as taxas de açúcar no sangue.

 

O que é insulina

 

A insulina é um hormônio produzido pelo organismo, especialmente pelo pâncreas, tem por objetivo promover a redução da glicemia.

Isso acontece ao permitir que que o açúcar presente no sangue possa penetrar nas células, podendo assim, ser usado como fonte de energia para o corpo.

Certamente, se não houver a presença desse hormônio ou que ele seja produzido de maneira insuficiente ou deficiente, aumentará a glicose no sangue e consequentemente se dará a diabetes.

 

Tipos de diabetes

 

Existem pelo menos 2 tipos de diabetes mais comuns:

 

Diabetes tipo 1 

 

Neste caso o pâncreas não produz a insulina, e ocorre especialmente em crianças e adolescentes. No entanto também poderá acometer adultos abaixo dos 30 anos.

Isso pode acontecer por um defeito no sistema imunológico, permitindo que os próprios anticorpos ataquem as células que tem por fim produzir este hormônio.

Este é o tipo de diabetes que atinge cerca de 5 a 10% das pessoas com diabetes. Geralmente essas pessoas são magras.

O tratamento deve ser à base de insulina e com a mudança no estilo de vida, atividades físicas e também medicamentos. O que ajuda no controle da glicose no sangue.

 

Diabetes tipo 2

 

Já neste caso, a diabetes acontece justamente porque o organismo não consegue fazer o uso adequado da insulina produzida pelo pâncreas. Ou ainda porque não produz a insulina suficiente para o controle da glicemia no sangue. Certamente a insulina é um hormônio de essencial importância para a vida, ninguém vive sem ele.

O índice de pessoas com este tipo 2 de diabetes, chega a 90% dos casos. Normalmente é mais comum em adultos acima dos 40 anos, e também em pessoas que tem membros na família com este problema. Mas podem acontecer casos de atingir crianças também.

Como tem graus de gravidade, em alguns casos pode ser controlada apenas com uma alimentação restrita e adequada e atividades físicas. Noutros casos, é necessário também o uso de insulina e outros medicamentos para o controle da glicose.

Um agravante deste quadro é a obesidade, e portanto está cada vez atingindo pessoas mais jovens. E isso tem relação estreita com o tipo de alimentação e estilo de vida dos pacientes, genética e consumo de calorias em exagero. E com o tempo a doença pode ficar ainda pior.

Para controlar é de suma importância apostar numa mudança no estilo de vida no que diz respeito a fatores como alimentação, atividades físicas, desestresse, qualidade do sono, entre outros.

 

Pré diabético

 

Nos casos do diabetes tipo 2, quando a pessoa nasce com uma pré disposição a desenvolver o diabetes podendo desenvolver a qualquer idade, não existe pré diabético.

Já no casos do tipo 1, pode-se dizer que o paciente possui tendência a desenvolver a doença, e está numa linha de transição.

 

Diabetes gestacional

 

Na gestação, o organismo da mulher poderá apresentar a resistência maior à ação da insulina. E por consequência poderá acontecer o aumento do nível de glicose no sangue.

Neste caso, a doença poderá não persistir após a gestação. Porém, ainda não se tem uma elucidação sobre o porque isso acontece.

 

Outros tipos de diabetes

 

Por decorrência genética, também existem outros tipos de diabetes, que também podem estar associados, tanto à questão genética como uso de medicamentos ou outras doenças. Veja:

  • Diabetes provindo de doença do pâncreas exócrino como pancreatites, hemocromatose, neoplasia, fibrose cística entre outras;
  • Defeito genético na ação da insulina;
  • Defeito genético na ação da célula beta;
  • Diabetes por indução de drogas ou produtos químicos como diuréticos, corticóides, betabloqueadores, contraceptivos entre outros.

 

Agora  você já sabe um pouco de tudo sobre este assunto de Como aplicar Insulina. Certamente sabe também  que é  uma doença grave e atinge cada vez mais pessoas.

Então é hora de se cuidar, tomar a consciência de que é melhor prevenir do que remediar. Mas, se for o caso de já estar com a doença, faça todo o tratamento devido para o controle.

Leia também: